Setembro tem variação negativa no setor moveleiro

Os números do setor moveleiro apontaram uma variação negativa no mês de setembro, conforme o Relatório Conjuntura e Comércio Externo do Setor de Móveis no Brasil, elaborado pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI). A produção nacional de móveis teve queda, assim como o consumo, a produtividade e as vendas no comércio varejista. Por outro lado, a inflação e a inadimplência do consumidor avançaram em outubro.

De acordo com a pesquisa, a produção nacional fechou o mês de setembro com uma variação negativa de 1,8% sobre o mês anterior, acumulando um total de 42,5 milhões de peças ao final de setembro. No ano houve crescimento de 3,2%. No Rio Grande do Sul, a produção fechou o mês de agosto setembro com um aumento de 5,6% e 7,8 milhões de peças. No acumulado de janeiro a setembro deste ano também houve queda de 0,4% comparado ao mesmo período de 2012.

O consumo aparente da indústria de móveis foi outro dado que apresentou recuo de 1,8% em setembro, comparado com agosto, registrando 42,4 milhões de peças – no ano a alta é 3,9%. No RS o consumo chegou a 7,6 milhões de peças no mês e alta de 7,4%, representando 17,9% do consumo nacional. A participação dos importados chegou a 2,7%, em setembro, no Brasil. Já para os gaúchos, os importados contabilizam 2,1% do consumo interno.

O comércio varejista de móveis, incluindo eletrodomésticos, também apresentou uma queda expressiva no mês: 9,1% em volumes de peças e 8,3% em valores das receitas. Mesmo assim, acumula alta no ano de 5,5% nos volumes vendidos e 8,6% nos valores da receita. Na contramão destes dados, um dos indicativos que tiveram alta foi a inflação do mobiliário. Em outubro, os preços ao consumidor de móveis avançaram 1,28%. No ano o crescimento foi maior, chegando a uma variação positiva de 7,25%. A inadimplência foi outro dado que teve alta de 3,7% no período mês. No entanto, em relação a outubro de 2012, houve um recuo de 10,5%.

EMPREGOS NA INDÚSTRIA SE MANTÊM
O volume de pessoal ocupado no setor de madeira e móveis praticamente se manteve, com leve aumento de 0,1% em setembro e um resultado abaixo do verificado pela indústria de transformação em geral, que cresceu 0,5% no mês e 1,1% no ano. Ainda no mês de setembro, o relatório aponta que foram abertos 1.842 novos postos de trabalho no setor moveleiro nacional, alcançando 282.137 empregos diretos, alta de 2% sobre dezembro de 2012. No Rio Grande do Sul novamente houve mais contratações do que desligamentos na indústria moveleira, durante o mês pesquisado também em setembro, ocasionando 440 novos postos de trabalho. Com isso, o setor acumula 40.599 os empregos diretos e alta de 3,6% em relação a dezembro de 2012.

A produtividade do setor madeira e móveis recuou timidamente 0,6% no mês, acumulando alta de 9,5% no ano, bem acima do resultado da indústria de transformação que recuou 3,3% no mês e acumulou uma alta de 3,1% no ano.

INVESTIMENTOS
O BNDES desembolsou, em julho, R$ 95 milhões para investimentos no setor de móveis – valor equivalente a apenas 2,3% do total desembolsado para a indústria de transformação (R$ 4,1 bilhões). No ano, de janeiro a julho, os investimentos para o setor acumularam alta de 48,2% em relação ao mesmo período de 2012. Destaque para as importações de máquinas de móveis, que cresceram 5,8% entre janeiro a outubro deste ano no comparativo com o ano anterior. Para conferir o relatório completo e outros dados sobre o setor moveleiro acesse: http://www.movergs.com.br/numeros-setor (Fonte: Movergs – 02/12/2013)

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Curta o IEMI no facebook

>> Siga o IEMI no twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços

Deixe uma resposta