Press Release: Em 2014, produção nacional de calçados deve crescer 3,6%, aponta IEMI

A indústria calçadista mundial, assim como outros setores produtores de bens de consumo, vem se desenvolvendo significativamente nos últimos anos. E em 2014 não será diferente, já que o setor pode esperar boas expectativas: a produção nacional em volume tende a crescer 3,6%, e o consumo aparente (resultado da produção + importação – exportação), 2,6%. Os números fazem parte do estudo “Mercado Potencial de Calçados em Geral”, elaborado pelo IEMI Inteligência de Mercado.

 Dados como a evolução do consumo aparente e da participação dos importados no suprimento do mercado interno em 2014 também foram analisados, tendo como base a evolução histórica dos principais indicadores da indústria calçadista no Brasil (produção, investimentos, capacidade instalada, contratação de mão de obra, etc.) e do próprio comércio externo brasileiro de calçados. “As expectativas são de que os artigos importados alcancem uma participação de 5,1% sobre o consumo aparente em volume de pares, e as exportações representem 14,8% da produção, quando considerados todos os grupos de calçados produzidos e consumidos no País”, afirma Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Tendências do mercado de calçados para 2014 (1.000 pares)

Descrição

Realizado

Estimado

Evolução (%)

2009

2010

2011

2012

2013

2014 (1)

Var. 14/13

Produção

813.641

893.903

819.051

864.337

899.694

932.083

3,6%

Importação

30.362

28.680

33.991

35.643

39.151

42.988

9,8%

Exportação

126.576

142.952

112.967

113.274

122.903

138.020

12,3%

Consumo aparente

717.427

779.631

740.075

786.705

815.942

837.051

2,6%

Imp./Consumo (%)

4,2%

3,7%

4,6%

4,5%

4,8%

5,1%

Exp./Produção (%)

15,6%

16,0%

13,8%

13,1%

13,7%

14,8%

Fonte: IEMI
Nota: (1) Estimativas IEMI

  Produção e consumo mundial A produção mundial de calçados chegou a 18,8 bilhões de pares em 2012. Já o consumo foi de 16,5 bilhões, um crescimento de 2,1% em relação a 2011.

Evolução da produção e do consumo mundial

Ano

Produção

(em milhões de pares)

Evolução (%)

Consumo

(em milhões de pares)

Evolução (%)

2009

16.611

100,0%

14.877

100,0%

2010

17.592

105,9%

15.626

105,0%

2011

18.417

110,9%

16.194

108,9%

2012

18.820

113,3%

16.539

111,2%

Fontes: IEMI/World Shoe Review

  “O potencial de crescimento futuro é maior se considerarmos que a grande maioria da população mundial ainda sobrevive com baixo poder aquisitivo. Nos próximos anos, o crescimento da produção e do consumo deverá ocorrer à medida que as nações menos desenvolvidas consigam uma melhor distribuição de renda”, afirma o diretor. Em 2012 o Brasil ocupava a terceira posição no ranking de produção mundial, com participação de 4,6%, ficando atrás, somente, da China e da Índia. Todavia, a força chinesa no setor de calçados é incomparável. Afinal, o país, sozinho, detém 56% da produção e 72% das exportações mundiais em volumes de pares.

Principais produtores mundiais de calçados em 2012 (% sobre pares)

Em termos de consumo, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking 2012 dos consumidores globais. Entretanto, o número de pares consumidos pelo brasileiro é elevado por conta da alta participação dos chinelos, que representam mais da metade dos pares consumidos. Com isso seu consumo por habitante, de 4,1 pares/ano, é 78% superior à média mundial, de 2,3 pares anuais. China, Estados Unidos e Índia ficam nas primeiras colocações. Porém, enquanto o consumo per capita dos Estados Unidos, em 2012, foi de 7,2 pares por ano, na China e na Índia foi de 1,8. O maior consumo por habitante em 2012 foi na República Tcheca, com 7,6 pares/ano.   Importação e exportação Segundo os dados da World Shoe Review e da ITC (International Trade Center), as exportações mundiais de calçados, em volumes de pares, acumularam crescimento de 13,6% entre 2009 e 2012. Em valores, o crescimento foi maior: 46% no mesmo período. Já as importações mundiais cresceram 35,3% em valores e 9,9% em volumes.  

Exportações e importações de calçados (em milhões de pares)

Ano

Exportações

Importações

Em milhões de pares

Evolução (%)

Em milhões de pares

Evolução (%)

2009

10.079

100,0%

8.345

100,0%

2010

10.987

109,0%

9.021

108,1%

2011

11.455

113,7%

9.232

110,6%

2012

11.454

113,6%

9.173

109,9%

Fontes: IEMI/ITC/World Shoe Review

 

Exportações e importações de calçados (em milhões de US$)

Exportações

Importações

Ano

Milhões de US$

Evolução (%)

Milhões de US$

Evolução (%)

2009

75.528

100,0%

80.437

100,0%

2010

88.802

117,6%

93.888

116,7%

2011

104.933

138,9%

107.286

133,4%

2012

110.254

146,0%

108.831

135,3%

Fontes: IEMI/ITC

  No ranking dos maiores exportadores mundiais, o Brasil ocupa o 10º lugar em volumes de pares e o 16º em valores em dólares, com 1% de participação no último ano. A China é líder tanto em volumes (72,4%) quanto em valores (40,2%) e o Vietnã ocupa a segunda colocação também nos dois quesitos, com 4% em volumes e 9,1% em valores. Nas importações, os Estados Unidos lideram o ranking, sendo responsáveis por 24,9% dos volumes e 22,4% dos valores adquiridos em 2012. O Japão é o segundo maior importador em volumes de pares, mas o quinto em valores. Já a Alemanha é o terceiro em volumes e o segundo em valores. A participação do Brasil ainda é pequena, posicionando-se como o 39º maior importador em volumes de pares e o 35º em valores, com apenas 0,4% de participação no comércio global em volumes e 0,5% em valores.   DADOS ADICIONAIS: Unidades produtoras De 2009 a 2013, a quantidade de unidades atuantes no setor aumentou 0,5%, com o surgimento de 41 novas unidades. Já em relação ao último ano, ocorreu uma queda de 0,7%, com destaque apenas para as empresas que atuam na produção de calçados de plástico e borracha, com alta de 7,9%. Uma característica importante do setor calçadista nacional é o fato de que ele é composto por um grande número de microempresas (89,0% com até 49 empregados), ficando as pequenas (de 50 a 249 empregados) com 8,8% e as médias (de 250 a 1.000 empregados) com 1,8%, enquanto as grandes (mais de 1.000 empregados) não passam de 0,5%. As unidades produtoras estão localizadas principalmente nas regiões Sul e Sudeste, onde se concentram 88,3% do total, ficando a região Nordeste com 8,1% e as regiões Centro-Oeste e Norte, juntas, com 3,6% do total de unidades em atividade.

Distribuição das unidades produtoras por região (%)

. Região

2009

2010

2011

2012

2013

 Norte

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

 Nordeste

7,4%

7,7%

7,7%

8,0%

8,1%

 Sudeste

49,2%

48,7%

48,4%

47,0%

47,0%

 Sul

40,4%

40,5%

40,9%

41,8%

41,3%

 Centro-Oeste

2,8%

2,9%

2,8%

3,1%

3,4%

. Total

100,0%

100,0%

100,0%

100,0%

100,0%

Fontes: IEMI/RAIS

  Ocupação de pessoal Os empregos gerados pelo setor produtor de calçados somaram quase 353 mil postos de trabalho em 2013, ou o equivalente a 3,58% do total de trabalhadores alocados na produção industrial do País nesse ano. Isso vem demonstrando que, além da sua grande relevância econômica, este é um segmento de forte impacto social.

Faturamento 2013

Empregos 2013

Faturamento ind. calçados

R$ 26,8 bilhões

Pessoal ocupado ind. de calçados

353 mil empregados

Fat. ind. transformação (1)

R$ 2.219,8 bilhões

Emprego ind. transformação (1)

9.849,6 mil empregados

Rel. faturamento calçados/fat. ind. transformação (%)

1,21%

ð Participação (%)

3,58%

Fontes: IEMI/IBGE/BACEN
Nota: (1) Receita líquida e emprego da indústria de transformação. Não inclui indústria extrativa mineral e construção civil. Dados preliminares

  A região Nordeste é a maior empregadora do setor. Em 2010 ela ultrapassou a região Sul e participa com 36,1% do contingente de empregos ofertados pelo setor no Brasil em 2013. A região Sul ocupa a segunda posição, com 35,8%, seguida da região Sudeste, com 26,6%. As regiões Norte e Centro-Oeste, juntas, detêm 1,4% dos empregos da indústria brasileira de calçados. Distribuindo-se o pessoal ocupado no setor por áreas de atuação, verifica-se que 90,8% do contingente de trabalhadores atuam diretamente na produção, enquanto outros 8,1% exercem atividades administrativas e 1,1% se encarrega da comercialização.   Principais indicadores

Grandes números do setor

. Indicadores 2013 . Setor calçadista no Brasil
Número de unidades produtivas 8,1 mil empresas
Pessoal ocupado (direto e indireto)  353 mil funcionários
Produção  900 milhões de pares
Vendas R$ 26,8 bilhões
Investimentos R$ 668,6 milhões
Exportações US$ 1,1 bilhão
Importações US$ 572,4 milhões
Saldo da balança comercial US$ 522,9 milhões
Fonte: IEMI

  Informações à imprensa ADS Comunicação Corporativa Vera Santiago – veras@adsbrasil.com.br – (11) 5090-3016 Jacqueline Miranda – jacquelinem@adsbrasil.com.br – (11) 5090-3036 Nathália Chamon – nathalias@adsbrasil.com.br – (11) 5090-3042

Este post tem 0 comentários

  1. Avatar
    Adriano fernandes

    Muito bom,vocês tem informações sobre calçados infantis especifico.
    obrigado

  2. Avatar
    Adriano fernandes

    Muito bom,vocês tem informações sobre calçados infantis especifico.
    obrigado

Deixe uma resposta para Adriano fernandes Cancelar resposta