O Consumo de Jeanswear no Brasil

O Consumo de Jeanswear no Brasil

Cenário do Mercado de Jeanswear no Brasil

O Brasil detém umas das principais cadeias produtivas do jeanswear no mundo: ampla, integrada e diversificada, englobando desde a produção das fibras até a confecção das roupas, sustentada por uma gama de grandes indústrias de fios, tecidos e acabamentos, qualificadas entre as mais modernas e competitivas do planeta.

Com uma estrutura produtiva dessa monta, a oferta de jeanswear no Brasil conta com um potencial ilimitado de crescimento que, em condições normais de mercado, está apta a suprir todos os anseios da moda e do consumo local. Para as exportações, variáveis exógenas ao mercado ainda funcionam como barreiras, como a instabilidade do câmbio, custos Brasil e de exportação, além da falta de acordos mais amplos para acesso dos produtos brasileiros aos mercados mais relevantes.

Neste vídeo, Bárbara Castro – Gerente de negócios do IEMI, faz uma breve apresentação sobre a importância do Jeanswear no Brasil. Confira!

Reproduzir vídeo

O Brasil detém umas das principais cadeias produtivas do jeanswear no mundo: ampla, integrada e diversificada, englobando desde a produção das fibras até a confecção das roupas, sustentada por uma gama de grandes indústrias de fios, tecidos e acabamentos, qualificadas entre as mais modernas e competitivas do planeta.

Com uma estrutura produtiva dessa monta, a oferta de jeanswear no Brasil conta com um potencial ilimitado de crescimento que, em condições normais de mercado, está apta a suprir todos os anseios da moda e do consumo local. Para as exportações, variáveis exógenas ao mercado ainda funcionam como barreiras, como a instabilidade do câmbio, custos Brasil e de exportação, além da falta de acordos mais amplos para acesso dos produtos brasileiros aos mercados mais relevantes.

Nesse momento, o nosso foco se concentrará no comportamento dos consumidores brasileiros frente a essa linha de produto que, sozinha, já responde por 11,3% do consumo de roupas no varejo nacional, tendo movimentado quase R$ 22 bilhões em 2020, mesmo com o mercado de moda sob os efeitos da pandemia.

R$ 0 bilhões
movimentados em 2020

Com uma demanda dessa importância e com um patrimônio de quase 6.000 indústrias e mais de 100 mil empregos alocados na produção dessa linha de produtos, o Brasil tem muito que se beneficiar do sucesso desse setor.

E o principal desafio aqui é saber o que pensam os brasileiros sobre o jeanswear, em especial os usuários “amantes da moda”, que funcionam como os grandes propagadores de tendências de consumo desse produto, e os mais jovens, que irão compor a grande massa de consumidores nos próximos 10 anos.  

Para responder a essa pergunta, o IEMI se juntou a dois grandes parceiros, especialistas nesse segmento, a Tecnoblu e a Vicunha, para juntos desenvolverem uma ampla pesquisa de mercado. Ao todo, o IEMI ouviu 800 consumidores de moda, de todos os perfis (idade, gênero, poder de compra, amantes ou não de moda) e regiões do país. E a partir dessa pesquisa desenhou-se o mais amplo cenário sobre o comportamento de consumo de jeanswear no Brasil, sobre o qual compartilhamos alguns resultados com exclusividade, no material disponível no questionário abaixo.

Assinatura do texto: Marcelo V. Prado é sócio-diretor do IEMI – Inteligência de Mercado, consultor de empresas, especialista em inteligência de mercado e diretor adjunto do Comitê Têxtil da FIESP e diretor de pesquisa da ABIESV. Esse artigo foi escrito em conjunto com Helen Suzuki, analista de inteligência de mercado do IEMI, com MBA em pesquisa de mercado pela USP e professora da Universidade Anhembi Morumbi (UAM-SP).

Saiba como podemos te ajudar a explorar este mercado:

Receba uma prévia do estudo preenchendo o questionário abaixo:

Conheça o estudo do Mercado Potencial de Jeanswear exclusivo IEMI.

Conheça os estudos prontos do mercado têxtil, de vestuário e cama, mesa e banho exclusivos IEMI.

Conheça também alguns projetos de pesquisa de mercado.

Conheça outras pesquisas exclusivas IEMI.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta