Press Release: Mercado moveleiro deverá ter crescimento superior em 2013

O mercado moveleiro se prepara para crescer em 2013 mais que no ano anterior, tanto no que se refere à produção quanto ao varejo. Projeções do IEMI Inteligência de Mercado mostram que a produção industrial, que fechou 2012 com crescimento de 2% em peças (dados preliminares), deverá terminar este ano com crescimento de 5,5%. No varejo, o cenário também é bastante otimista: 2013 deve registrar aumento de 6,8% em peças e 9,7% no faturamento, ante 4,5% em peças e 8% em faturamento em 2012.

De acordo com Marcelo Prado, diretor do IEMI, a boa expectativa se deve ao fato de que, após a corrida por produtos da linha branca e de automóveis (também beneficiados pela redução do IPI no ano passado, mas que obtiveram mais sucesso de vendas), o consumidor adquira mais móveis em 2013, até por uma questão de necessidade, já que voltou seus investimentos para outros tipos de produto no ano passado.

“Acreditamos na retomada do crescimento da participação dos móveis no consumo das pessoas”, afirma Marcelo Prado.

Pesquisa do IEMI sobre o comportamento de compra do consumidor de móveis, realizada em 2012, mostra que a maior parte dos entrevistados (41,3%) costuma adquirir móveis todo ano, mas geralmente a compra é motivada por um necessidade relacionada a momentos específicos da vida, como mudança para imóvel maior (30,2%), filhos entrando na adolescência (15,1%) e casamento recente (13,3%), por exemplo.

A conclusão de que a compra de um móvel é motivada por necessidade é ainda reforçada nas respostas relacionadas ao tipo de produto adquirido na última compra – o guarda-roupa lidera com 13,7%. Abaixo, o ranking dos 5 produtos mais adquiridos na última compra.

 

. Produto comprado Total
Guarda-roupa (roupeiro) 13,7%
Sofás 12,0%
Conjunto box (cama-box + colchão) 8,5%
Armário de cozinha 8,0%
Rack de televisão 7,5%

                                   Fonte: IEMI

 O gasto médio dos consumidores com móveis em 2012 foi de R$ 1.170,00, de acordo com o IEMI. Vale lembrar que, pelo alto valor, a aquisição de um móvel envolve planejamento. Por isso, apenas 17% dos consumidores fazem a aquisição sozinhos. A maior parte (53,7%) realizou a última compra acompanhado do esposo(a)/companheiro(a). Mais da metade dos entrevistados também não realizaram a compra por impulso: 57,7% afirmam ter visto o produto adquirido em outra ocasião e 79% compararam os preços antes de comprar.

 

Design atrai mais que qualidade durante a compra de móveis

Mesmo que, em grande parte das vezes, o consumidor procure uma loja de móveis motivado por uma necessidade, não é só a qualidade do produto que pretende adquirir que define a compra. Para 41,1% dos consumidores, o fator beleza é o que chama a atenção em primeiro lugar, no momento da compra; apenas 18,6% buscam móveis duráveis e resistentes.

 

. Buscava produto Total
Bonito 41,1%
Durável/resistente 18,6%
Sofisticado 10,3%
Com boa qualidade 9,2%
Moderno 6,8%
De uma loja conhecida 5,3%
Útil 3,0%
Com garantia 2,4%
Barato 2,1%
Básico 0,8%
De um fabricante conhecido 0,2%
Ecologicamente correto 0,2%
. Total 100,0%

          Fonte: IEMI

“Para os consumidores de móveis: qualidade, resistência e durabilidade são fatores relevantes na decisão de compra, mas beleza e o design do produto são fundamentais”

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Curta o IEMI no facebook

>> Siga o IEMI no twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.