Press Release: Mercado de Móveis Planejados movimenta R$ 14 bilhões no Brasil

O IEMI Inteligência de Mercado, especializado em pesquisas e análises do setor de móveis, calçados, têxteis e confeccionista, acaba de divulgar o primeiro e único estudo sobre o “Mercado Potencial de Móveis Planejados no Brasil”. A análise traz as dimensões e evolução da oferta e demanda destes produtos, no País, além de dimensionar o canal de varejo especializado neste segmento, a partir do mapeamento das principais redes em atividade neste canal.

Os móveis planejados, nos últimos anos, ganharam grande atratividade junto às indústrias do mobiliário do país, pela sua capacidade de agregação de valor aos produtos e marcas do setor. Daí a necessidade do IEMI em oferecer indicadores e análises aprofundadas do segmento para contribuir na tomada de decisão, em um mercado que se torna cada vez mais concorrido.

Atualmente, esta categoria está inserida na linha de produtos de um em cada nove estabelecimentos produtores de móveis no Brasil, ou 8,8% do total, e comercializado por 1 em cada 7 lojas de móveis do país (15,4%). Ao final de 2014, este contingente entregou ao mercado uma produção de 38,7 milhões de peças, correspondente a R$ 13,4 bilhões de vendas em valores. Conforme demonstrado no quadro comparativo abaixo:

tabela-planejados

O segmento de Móveis Planejados conseguiu se diferenciar dos demais segmentos, utilizando-se de um canal de venda próprio, agregando um elevado grau de customização e serviços aos produtos, proporcionando uma ótima experiência de compra aos consumidores”, afirma Marcelo Prado, diretor do IEMI.

 Entre outros números, o IEMI estima que, para 2015, a produção deve recuar (-) 5,5% em volume de peças, porém com alta de 1,3% em valores em reais.

 

Produção nacional

 A indústria nacional de móveis planejados produziu aproximadamente 38,7 milhões de peças acabadas em 2014, alcançando uma participação pouco superior a 8% de toda a produção nacional de móveis.

Em valores, porém, o segmento já corresponde a 23,8% das receitas geradas pelas indústrias do setor e por 21,6% das vendas do varejo (em R$), o que confere ao segmento um preço médio por peça, quase três vezes superior à média do setor moveleiro, como um todo.

 

Canais de distribuição da produção

As redes de lojas especializadas em móveis planejados, compostas por lojas próprias, franqueadas ou exclusivas das marcas, representam o principal canal de escoamento da produção deste tipo de produto e, também, a principal razão do seu sucesso, nos últimos anos.

Esse canal respondeu em 2014 por 88,8% da distribuição da produção de planejados, em volumes de peças, e por 91,0% do valor comercializado do produto no varejo (em reais). As lojas não especializadas, como as lojas de departamento e os homecenters, que até bem pouco tempo não trabalhavam com esta linha de produto, vêm tentando incorporar os móveis planejados em seus estabelecimentos, e já participam com 6,5% dos volumes e 5,5% dos valores em reais. Os demais canais, em conjunto, incluindo o mercado corporativo, participaram com 4,7% em volumes de peças e 3,5% em valores.

 

Arquitetos

Quase metade do público alvo das marcas de móveis planejados se enquadra nos grupos de maior poder de compra (A1 e A2), por isso mesmo o trabalho junto aos arquitetos e profissionais da área é de suma importância para o sucesso da maioria das empresas do segmento. Com o intuito de fomentar as suas vendas, nada menos que 77% das redes do segmento, desenvolvem ações de marketing direcionadas diretamente a estes profissionais do mercado, que se posicionam como especificadores e como principal influenciador na decisão de compra destes consumidores.

Com a recente expansão das redes direcionadas aos consumidores de classe média, juntamente com a entrada das lojas de departamento e homecenters no segmento, novas estratégias estão sendo criadas para o fomento das vendas junto ao público de menor renda, já que a presença do arquiteto como influenciador da compra diminui muito neste grupo.

 

Pessoal ocupado

 O pessoal ocupado no segmento de móveis planejados alcançou 28,3 mil funcionários em 2014, registrando um crescimento de 3,1% frente ao contingente ocupado em 2013. No acumulado do período (2012 a 2014), o crescimento no número de empregos gerados pelo segmento chegou a 6,1%.

Na análise do pessoal ocupado por região, verifica-se que 41,7% dos funcionários estão alocados em unidades produtivas do Sul, 35,8% nos estados do Sudeste do país e 9,5% no Centro-oeste. As regiões Norte e Nordeste, juntas, empregam 13,0% da mão de obra direta e indireta do segmento.

 

Unidades produtoras

Hoje, a indústria moveleira de planejados é composta por 1,7 mil unidades produtivas, disseminadas por quase todo o território nacional. Em relação à totalidade unidades produtoras de móveis em geral, as industrias de móveis planejados corresponderam a 10,1% dos estabelecimentos em 2014.

A região Sul é onde se encontra a maior parte dos fabricantes de móveis planejados, com 39,3% do total, seguida de perto pela região Sudeste, onde se encontram 37,1%.


Os interessados em adquirir o estudo completo podem acessar www.iemi.com.br/moveis-planejados

 

Informações à imprensa:

ADS Comunicação Corporativa

Vera Santiago – veras@adsbrasil.com.br – (11) 5090.3016

Marina Batista – marinab@adsbrasil.com.br – (11) 5090.3042


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.