Press Release: Consumo per capita de artigos de cama, mesa e banho volta a crescer

O consumo por pessoa de artigos de cama, mesa e banho voltou a crescer em 2012, após dois anos de recuo.  Em 2009, o número de peças por habitante ao ano era 3,7. Em 2010, o número diminuiu para 3,6, chegando a 3,5 em 2011. No ano passado, voltou ao patamar de 3,6. De 2005 a 2012 o consumo per capita de cama, mesa e banho cresceu 72,9%, o equivalente a 8,1% ao ano. Os dados fazem parte da pesquisa “Canais de Varejo e Precificação nos Segmentos de Cama, Mesa e Banho”, do IEMI Inteligência de Mercado.

 

Marcelo Prado, diretor do IEMI Inteligência de Mercado, apresenta esses e outros índices em palestra no dia 26 de março, às 14h30, na Texfair Home – Feira Internacional de Produtos Têxteis e Decoração para o Lar, que acontece em Blumenau (SC).

Entre 2007 e 2012 o consumo de artigos de cama, mesa e banho cresceu 27,9% em peças e 47% em valores nominais. Em 2012, dados preliminares apontam para um movimento de 698 milhões de peças e R$ 7,5 bilhões – frente a 2011, representa alta de 3,2% em volumes 6,2% em valores.

A linha que mais cresceu entre 2007 e 2011 foi a de cama (54,3%), seguida pelo banho (13,1%). O consumo da linha mesa recuou no período (-0,8%), devido, entre outros fatores, à concorrência com produtos similares, como toalhas plásticas e jogos americanos.

 

Varejo

Quando precisam adquirir um produto de cama, mesa e banho os brasileiros costumam procurar lojas independentes (lojas multimarcas, lojas de bairro e butiques, não organizadas em redes). Em 2011, elas responderam por 36,8% das vendas em volumes, seguidas pelos hipermercados (19%), pelas lojas de departamentos não especializados (15%), pelas redes de pequenas lojas (15%) e pelas lojas de departamento especializado (14%).

No que tange ao valor dos produtos, as lojas independentes mantêm a liderança (41%), mas são seguidas pelas redes de pequenas lojas (25%).

“Isso ocorre porque os preços médios mais altos são encontrados nas redes de pequenas lojas. Nas lojas independentes, o preço chega à metade e nos hipermercados até 3 vezes menor.  O preço médio nas redes de departamento especializado é de R$ 20,27, podendo variar de R$ 11,11 nos hipermercados a até R$ 36,41 nas redes de pequenas lojas”, explica Marcelo Prado.

As mulheres são as que mais adquirem esse tipo de produto: representam 82% dos compradores.  A maioria dos consumidores (56%) afirma fazer compras de artigos relacionados a esses segmentos a cada 6 meses.

A marca e a qualidade do produto ainda são um grande chamariz para a efetuação da compra: 70% dos consumidores se dispõem a pagar mais pelo produto em troca de algum diferencial, que também pode ser a localização, ambientação e bom atendimento das lojas. Mesmo assim, não compram de forma impulsiva: 71% das compras foram feitas mediante pesquisa de produtos, marcas e preços nas lojas. Apenas 29% compraram à primeira vista.

Diferentemente do que se costuma achar, a compra destes produtos não está mais tão atrelada à eventos (como casamentos): 61% dos consumidores realizaram a última compra sem motivos especiais. Datas especiais ou liquidações e preparação para o casamento aparecem em segundo (10,4%) e em terceiro (5,2%) lugar, respectivamente.

Em 2011, o varejo de cama, mesa e banho movimentou R$ 12,7 bilhões e 589 milhões de peças, das quais 90,7% eram de origem nacional. Para 2012, estima-se uma alta de 4,2% nas peças e 6,3% nos valores. O preço médio geral de artigos no varejo chegou R$ 21,61 por peça.

 

 

Projeções 2013 – Cama, mesa e banho

 

Produção: alta de 6,7% em peças (contra 2,2% em 2012);

Consumo: alta de 7,9% em peças (contra 3,2% em 2012);

Varejo: alta de 7,4% em peças (contra 4,2% em 2012).

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Curta o IEMI no facebook

>> Siga o IEMI no twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.