Press Release: Cama, mesa e banho – homens vão às compras

Constatação faz parte de estudo sobre o comportamento dos compradores deste importante segmento no setor têxtil

Esqueça a convicção de que artigos de cama, mesa e banho são adquiridos sempre por mulheres. Os homens, devido também a arranjos sociais diversos encontrados atualmente, estão cada vez mais indo às compras. Eles já somam 18% do universo de consumidores desses artigos, de acordo com o estudo de Comportamento de Compra do Consumidor de Cama, Mesa e Banho realizado pelo Núcleo de Inteligência de Mercado do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI). Há seis anos, os homens representavam apenas 6% do total de compradores.

A autonomia em relação à escolha do produto é medida quando a pessoa vai sozinha às compras: 89% dos homens responderam que estavam acompanhados na loja quando adquiriram produtos de cama, mesa e banho – um indicador de que a decisão pela escolha do artigo não partiu única e exclusivamente deles.

As mulheres ainda lideram esse mercado consumidor: perfazem 82% dos compradores, dos quais 52% realizam a compra sem acompanhante.

A pesquisa também dividiu os consumidores em quatro tipos de perfis: o conservador (38,7% da população), que escolhe as novas roupas de cama, mesa e banho de acordo com as que já possui, procura liquidações e busca o equilíbrio entre preço e qualidade; o pragmático (30,1% da população), que compra para substituir uma peça velha ou desgastada e se sensibiliza com preço, praticidade e qualidade; o impulsivo (17,4% da população), que sempre procura por novidades, troca as peças sempre que cansa ou enjoa; e o antenado (13,8% da população), que adora novidades, lê revistas e assiste a programas sobre decoração, busca status e identidade através da sua casa.

Este último, embora represente um percentual menor da população, é o “sonho de consumo” das marcas, pois funciona como um formador de opinião junto ao seu grupo de convívio, promovendo/divulgando as novidades e os diferenciais das marcas que ele escolheu.

As mulheres correspondem a 73,5% do universo dos antenados, a 65,9% dos impulsivos e a 53,7% dos conservadores. Já os homens lideram entre os pragmáticos: são 51,5% desses consumidores.

 

Motivações

Hoje em dia, o consumo de cama, mesa e banho não está mais tão atrelado a ocasiões especiais ou a momentos de vida, como a montagem do enxoval de casamento. O maior poder de compra da população, o crescente interesse por morar bem e o contínuo processo de lançamento de novidades por parte das marcas, estão inserindo o conceito de moda nesta categoria de produto e elevando a percepção dos consumidores que passaram a comprar sem um motivo especial, apenas porque se encantaram com o produto, ou queriam algo novo em sua casa.

“As liquidações são fatores de atração que ajudam a aumentar o giro do produto. Um produto com preço baixo em uma vitrine atrativa gera bons resultados de venda”, afirma Marcelo Villin Prado, diretor doIEMI.

O estilo do produto também foram avaliados pela pesquisa.  A maior parte dos consumidores prefere produtos com cores suaves, sofisticado e diferente de tudo o que já possuiam em casa.

A qualidade do produto adquirido se sobrepõe ao preço e à marca do artigo consumido.

 

Classe social também influencia

Os produtos de cama, mesa e banho não são adquiridos com muita frequência. Geralmente, são comprados vários itens de uma vez só, de forma a atender a demanda de toda a família.

Em todas as classes sociais, os consumidores afirmam comprar mais roupas de cama, mesa e banho a cada 6 meses.

 

. Frequência de compra

A/B1

B2/C

D/E

Total

  Todo mês

0,7%

1,2%

1,8%

1,2%

  A cada 2 meses

4,7%

5,3%

5,8%

5,2%

  A cada 3 meses

11,2%

9,8%

7,9%

9,8%

  A cada 4 meses

9,1%

10,0%

9,1%

9,8%

  A cada 6 meses

31,3%

34,3%

35,3%

33,9%

  A cada ano

32,8%

29,0%

28,9%

29,6%

  Menos de uma vez por ano

10,2%

10,4%

11,2%

10,5%

. Total

100,0%

100,0%

100,0%

100,0%

Fonte:IEMI

As classes D/E apontam um gasto de até R$ 50,00 ao mês com produtos da linha casa, enquanto entre as classes A/B1 o gasto é de R$351 a R$ 1.000,00 ao mês.

 Vale lembrar que o poder de compra foi distribuído segundo a renda mensal familiar, baseada no Critério de Classificação Econômica (CCEB), conforme mostra a tabela abaixo.

 

Canal de compra

As lojas físicas continuam sendo o principal canal para a compra de produtos de cama, mesa e banho. Já a Internet aparece em segundo lugar, com destaque para as vendas de roupa de cama.

“Trata-se de um produto que vende mais em lojas de departamento que em supermercados, onde tem um giro baixo e ocupa muita gôndola. Já as lojas especializadas são ainda melhores, pois oferecem um mix completo, com coleções coordenadas e peças de todo tipo de qualidade”, comenta Marcelo Villin Prado, diretor do IEMI.

O estudo desenvolvido pelo IEMI também ouviu os consumidores no que diz respeito ao que mais lhes agrada em uma loja. A variedade de produtos foi o item mais lembrado.

A boa aceitação de uma marca de roupas de cama, mesa e banho a coloca como prioritária aos olhos do consumidor em uma próxima compra, mas não garante novas vendas. Embora 96,9% dos entrevistados tenham respondido que comprariam novamente o produto de uma mesma marca, somente 52,4% aceitariam pagar a mais por ela.

O estudo doIEMIcontempla ainda um ranking das marcas mais lembradas pelos clientes, bem como uma análise das mais adquiridas pelos consumidores.

 

Metodologia

A pesquisa conduzida pelo Núcleo de Inteligência de Mercado doIEMIfoi realizada com 3.924 consumidores de roupas de cama, mesa e banho que responderam, voluntariamente, a um questionário que eles mesmos preencheram.

A amostra pesquisada foi constituída por pessoas de ambos os sexos, com idade acima de 15 anos, de todas as classes sociais, residentes nos mais diferentes estados da federação. Para a coleta de dados, foram utilizados questionários exclusivos, compostos por questões estruturadas e semi-estruturadas, de cunho quantitativo e qualitativo.

 

Os interessados em adquirir a pesquisa devem entrar em contato com o IEMI(www.iemi.com.br) – Contato: 55 11 3238.5800

 

Informações à imprensa: ADS Comunicação Corporativa
Vera Santiago (11) 5090-3016 – veras@adsbrasil.com.br

Patrícia Fagueiro (11) 5090-3042 – patriciaf@adsbrasil.com.br


Comentários

  1. Marcelo Vana Aragão - 4 anos atrás

    Sou publicitário. Realizo consultoria em micro e pequenas empresas no interior do Ceará através do Sebrae. Tenho interesse em obter mais informações sobre as pesquisas da IEMI para utilizá-las junto às micro e pequenas empresas e em estudos e pesquisas que desenvolvo também como professor.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.