Notícias: Evolução do comércio internacional de têxteis e vestuário

Países asiáticos são os principais exportadores de vestuário. Já as importações se concentram na América do Norte, Europa e Japão.

A comercialização de têxteis e vestuário alcançou a soma de US$ 478,6 bilhões em 2005, o que representa aumento de 125% no período de 1990 a 2005. Vale destacar que o comércio de vestuário cresce em proporções maiores do que o de têxteis, que incluem fios, tecidos, malhas, entre outros.

As maiores e mais tradicionais empresas do setor, e também as grandes exportadoras, sempre foram as indústrias de fios e tecidos, que forneciam matérias-primas para as confecções instaladas nos grandes mercados consumidores.

Com a migração da produção de vestuário para os países com custos baixos de mão-de-obra, estas empresas tiveram que se adaptar para permanecer suprindo estes mercados, passando a confeccionar seus tecidos em unidades próprias e a vender produtos acabados, chamados de full package.

Exportadores de vestuário
Os países asiáticos são responsáveis por mais de 55% das exportações mundiais de vestuário, dentre os quais se destaca a China que domina 26,9% desse comércio.

Entretanto, além dos asiáticos, há países ricos e emergentes de diferentes regiões do planeta, que também são grandes exportadores de confeccionados, localizados na Europa Ocidental, Leste Europeu e Norte da África.

Merecem destaque os seguintes países em cada região:

– Ásia: China, Hong Kong, Índia, Bangladesh, Indonésia, Vietnã, Tailândia, Paquistão;
– Europa Ocidental: Itália, Alemanha, França, Bélgica, Países Baixos e Reino Unido;
– Leste Europeu: Turquia, Romênia, Polônia, Bulgária e Hungria;
– América do Norte: México, Estados Unidos e Canadá;
– América Central: Honduras, República Dominicana, El Salvador e Guatemala;
– Norte da África: Marrocos e Tunísia;

Embora o Brasil seja o sexto maior produtor mundial, em termos de comércio exterior sua participação ainda é muito pequena, estando colocado na 47.ª posição no ranking dos maiores exportadores e importadores de vestuário do planeta.

A partir disso, pode-se concluir que neste segmento industrial, o Brasil se enquadra no perfil de ‘produtor consumidor’. Isto é, produz para si mesmo, com parcelas muito pequenas para a importação e exportação.

Importadores de vestuário
Do total das importações mundiais de vestuário, que somam US$ 276 bilhões, os Estados Unidos responderam por 28% dos valores registrados pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

Em 2005, os países da Europa Ocidental, juntamente com o Japão e o Canadá, absorveram 60% dos produtos. Assim, pode-se dizer que os países ricos, ou de maior grau de desenvolvimento, respondem pelo destino de 88% do comércio mundial de vestuário.

A participação atual do Brasil, como mercado destino das exportações mundiais, é desprezível, representando 0,08% do valor total.

Dados do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI)
Leia a matéria na íntegra: http://www.busca.sebrae.com.br/search?btnG.x=0&btnG.y=0&btnG=Pesquisa%2BGoogle&entqr=3&getfields=*&output=xml_no_dtd&sort=date%253AD%253AL%253Ad1&entsp=0&client=web_um&ud=1&oe=UTF-8&ie=UTF-8&proxystylesheet=sebrae2&site=web_all&filter=0&q=Instituto+de+Estudos+e+Marketing+Industrial
Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração
Curta o IEMI no facebook
Siga o IEMI no twitter 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.