Notícias: A interpretação dos dados foi errônea em matéria da Folha de SP

Matéria publicada no último dia 28 de Março, no caderno Mercado, da Folha de SP, que tratava do avanço da participação de importados no consumo de vestuário, houve uma interpretação errônea na apresentação dos dados informados pelo IEMI, bem como uma associação indevida de nomes de varejistas ao comentário do diretor do IEMI, Marcelo Villin Prado, onde apontava a evolução da participação de 25,8% para 27,8% dos artigos importados nas grandes redes de varejo de vestuário do Brasil, no período de 2007 a 2011, quando o correto seria “uma evolução de 5,2% para 17,6% neste indicador, no referido período, no conjunto de lojas de rede (grandes lojas de departamento, redes monomarcas e hipermercados), cuja citação dos nomes servia apenas para descrever o perfil desses tipos de canais de venda.

Assim, onde aparecem os nomes das redes de varejo CeA, Renner e Riachuelo, na fala do Sr. Marcelo, os mesmos foram citados como exemplos para descrição do que é uma loja de departamento de moda. Portanto, os números mencionados, na matéria, não possuem a menor relação com os dados individuais destas empresas, nem mesmo da participação dos artigos importados no montante comercializado por elas.

 

Para mais informações, entre em contato com faleconosco@iemi.com.br

 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.