Na mídia: RMC se transformou em polo de fabricação de colchões com as mais avançadas tecnologias

[…]As vendas de colchões e cama box movimentam mais de R$ 4,9 bilhões (US$ 2,6 bilhões) por ano. Análise do segmento realizada pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEME) mostra que o valor é referente aos preços de fábrica e têm como base o mercado em 2010, último dado disponível. O estudo avaliou a produção  de 30 milhões de peças. Desse total, 8,4 milhões de colchões foram de molas e o restante dos produtos de espuma e cama box. O volume foi fabricado por 342 indústrias que empregam 23 mil pessoas no Brasil. A estimativa que é as vendas tenham avançado 4% em 2011.
Mais do que produtos para descansar o corpo, as indústrias buscam oferecer uma experiência de consumo que proporcione relaxamento e conforto. Para isso, elas apostam na sofisticação dos colchões e travesseiros com insumos que traduzam conceitos de sustentabilidade, design moderno e comodidade. Alcançar o objetivo requer investimentos em pesquisa e desenvolvimento, e também em plantas avançadas. Hoje, o mercado apresenta produtos como viscoelástico, malha e jacquard com fios de bambu.
A gerente de marketing da Duoflex, Renata Federighi, afirma que as pessoas primam pela qualidade de vida e o momento de descanso é uma parte importante no dia a dia. Fabricante de produtos como o travesseiro da Nasa, a empresa tem no catálogo pelo menos 40 itens. O aumento do poder de consumo da classe C também influenciou na ampliação das vendas de travesseiros. A empresa investe 4% do faturamento em pesquisa e inovação. “O nosso objetivo este ano é aumentar as vendas em 25%”.[…]

 

Leia a matéria na íntegra

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

Curta o IEMI no facebook

Siga o IEMI no twitter


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.