Na Mídia: Restoque investe R$ 200 milhões.

A Restoque, dona de quatro grifes de moda (Le Lis Blanc, Bo.Bô, John John e Noir-Le Lis), vai investir neste ano R$ 200 milhões para sua expansão orgânica. Trata-se do maior investimento já feito pela companhia, que pretende duplicar o número de lojas para 207 unidades e ampliar o centro de distribuição.

Os recursos são provenientes de emissão de debêntures no valor de R$ 150 milhões e de geração de caixa. A Restoque fechou o ano passado com lucro líquido R$ 65 milhões, o que representa R$ 24 milhões a mais em relação a 2010.

O resultado operacional, medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 47% e atingiu R$ 110 milhões, com margem de 23,2%. “No ano passado, nosso investimento foi de R$ 100 milhões. Perdemos um pouco de margem por causa das despesas com abertura de lojas, mas compensamos com aumento de receita com as novas unidades. Sem as despesas de inauguração, nossa margem seria de 24%, explicou Marcio Camargo, sócio do Artesia, fundo de investimento em participações que detém pouco mais da metade do capital da Restoque.

Uma das estratégias de crescimento da companhia é diversificar seus negócios com a entrada na áreas de moda masculina, jeans e cosméticos. Atualmente, a grife Le Lis Blanc representa 90% do faturamento. A Restoque fechou 2011 com receita líquida de R$ 474 milhões, alta de 35%. O grupo tem consciência de sua limitação para abertura de lojas da Le Lis Blanc, já que a grife é voltada para consumidoras de alta renda, que gastam, em média, a cada compra R$ 458. Hoje, essa marca já conta com mais de 70 pontos no país e estima ter 130 lojas no próximo ano.

Diante desse cenário, o Restoque tem apostado suas fichas no público masculino – algo fora de cogitação há quatro anos. No próximo dia 04, a empresa abre simultaneamente sete lojas da Noir-Le Lis. Ao longo do ano, serão 32 unidades. “Como é um público novo para nós, contratamos a Helena Montanarini, consultora especialista em moda masculina há mais de 20 anos”, disse Alexandre Afrange, presidente da Restoque e irmão de uma das fundadoras da Le Lis Blanc, Rahyja Afrange.

O interesse da varejista no mercado masculino não é à toa. Segundo dados do Instituto de Estudos e Marketing industrial (IEMI), o varejo de moda masculina movimenta R$ 47,3 bilhões e nos últimos cinco anos cresceu 44,4%. “Os homens compram com menos frequência, mas gastam mais por compra”, disse Marcelo Villin Prado, diretor do IEMI. O preço médio previsto das peças da Noir será de R$ 280. Na Le Lis Blanc é R$ 220.

Ainda sobre a diversificação, a companhia começa a oferecer neste ano cosméticos com as marcas Le Lis e Bo.Bô. A ideia é ter balcões dentro das lojas e quiosques espalhados em shoppings. (Valor – 16/03/2012)

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

Curta o IEMI no facebook

Siga o IEMI no twitter 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.