Na mídia: IEMI detalha cenário do comércio no setor de móveis no Brasil

Participação dos importados recuou em março deste ano, como resultado do aumento mensal do consumo

As exportações brasileiras de móveis foram de US$ 60,9 milhões em março de 2012, representando queda de 5,8% em relação a março de 2011. Já as importações foram de US$ 51,4 milhões, com queda de 7,2% em relação a março de 2011. As exportações do Rio Grande do Sul, por sua vez, sofreram queda de 10,8% sobre março de 2011 e as importações tiveram alta de 27,7%.

Houve, no período, o aumento mensal do consumo (+13,4%) e, como consequência, a participação dos importados recuou, passando de 2,3% em fevereiro para 1,6% em março. Já a participação dos exportados aumentou, passando de 4,7% para 5,2% em março, como resultado da alta da exportação (+27,2%) ter sido acima do crescimento da produção (+14,7%) em março, em volume de peças.

Os dados são fornecidos à Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (MOVERGS), por meio do estudo “Conjuntura e Comércio Externo do Setor de Móveis no Brasil”, feito pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI).

Produção nacional
Já a produção de móveis no Brasil cresceu 14,7% em março, comparando-se a fevereiro, chegando a 40,1 milhões de peças. No ano, acumula alta de 2,4%. Estes dados, apesar de preliminares, mostram um resultado abaixo do apresentado pela produção moveleira do Rio Grande do Sul, que cresceu 8,6% no ano, com uma representação de 15,8% dos móveis produzidos no país.

A produtividade da cadeia produtiva de madeira e móveis teve alta de 8,3% em março e 18,2% no ano, ou seja, janeiro a março de 2012, comparado ao mesmo período de 2011, bem acima do resultado da indústria de transformação que recuou 1,8% no ano.

Para 2012, estima-se alta de 3,5% na produção nacional de móveis.

 

>> Leia a matéria na íntegra

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

Curta o IEMI no facebook

Siga o IEMI no twitter


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.