Globais, de moda, no Brasil

A Forever 21, que chegou em 2014, segundo especialistas desse mercado, comentam que essa varejista opera com margens negativas. A C&A no Brasil, desde 1976, replica no País, tal qual no exterior, preços baixos e atende as faixas de púbico B e C. Teria já fechado 12 lojas. A Zara, do grupo espanhol Inditex, que no exterior é voltada para as classes B e C, no Brasil, desde 2000 atende as faixas A e B. Outras marcas, como Topshop, Kate Spade e Gant, deixaram o País face a frustrantes resultados iniciais. A sueca H&M, e japonesa Uniqlo, apenas analisam o futuro do segmento varejista de moda no Brasil. (Valor/04-07-2016)

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

 >> Conecte-se ao IEMI no LinkedIn

>> Curta o IEMI no Facebook

>> Siga o IEMI no Twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.