Expectativas para a cadeia têxtil nacional

“Tínhamos expectativas otimistas para 2018, que infelizmente não se confirmaram. Ao invés de fecharmos o ano com crescimento de 2,8% devemos ficar em 1,4%”, disse Fernando Pimentel, Presidente da Abit, durante a apresentação do balanço setorial realizado na sede da entidade, em São Paulo, no último dia 28 em setembro. Ao lado do economista, Marcelo Prado, diretor do instituto, IEMI – Inteligência de Mercado, especializado em números da cadeia têxtil/vestuário/varejo, Pimentel disse que apesar do recuou da produção – acentuado a partir do segundo semestre deste ano, após a greve dos caminheiros, o setor têxtil/confecção “… ainda assim resistiu, o que é alentador no ano de economia difícil no País”. Para 2019, Pimentel espera que a economia brasileira reaja. “Nossa projeção é um crescimento de 2,9% na produção dos têxteis. Se houver aquecimento da economia e na geração de empregos nos primeiros meses do próximo ano, os volumes de importação deverão permanecer estáveis. Por outro lado a demanda interna aquecida movimentará também, a produção nacional estabilizando o mercado”, avalia. (Textilia/05-10-2018)

Capa-book-IEMI-Brasil-Têxtil-2018

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Conecte-se ao IEMI no LinkedIn

>> Curta o IEMI no Facebook

>> Siga o IEMI no Twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.