Enquanto indústria de roupas esportivas cresce, a de sapatos retrai no Brasil

Enquanto os 5 milhões de corredores praticam o esporte no país, a indústria nacional de artigos esportivos vive um cenário dividido, em que as empresas de roupas esportivas saem ganhando. No ano passado, a produção de vestuário para quem pratica esportes cresceu 4,1% na comparação com 2008, último dado informado pelo setor. Isso para abastecer um consumo 5,9% maior do que havia no mesmo período, de acordo com uma pesquisa do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI).

Mas os números positivos não foram replicados pela indústria de calçados esportivos. A mesma pesquisa identificou que tanto produção de novos pares como consumo pelos clientes tiveram retração de 5,7% e 0,4%, respectivamente. O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, explica que a produção deste tipo de calçados vem caindo no Brasil pela entrada dos produtos fabricados na China, já que grandes marcas internacionais, como a Nike, produzem no país asiático.

— Isso faz com que o produto nacional perca mercado mesmo com o aumento do consumo dos esportivos, especialmente embalado pelos grandes eventos internacionais que se avizinham. Ano passado, por exemplo, o varejo de calçados cresceu cerca de 6%, mas a indústria de esportivos não acompanhou o crescimento — observou Klein.

Com 14 fábricas que produzem artigos esportivos, o Grupo Dass, de Santa Catarina, desenvolve produtos para as marcas esportivas Adidas, Fila, Kappa, Nike, além da marca própria do grupo, a Tryon. Em um cenário em que as roupas e calçados têm baixado os preços justamente pela competitividade asiática, a aposta da empresa é investir em inovação para agregar valor aos produtos.

— Para nossas marcas que atuam no mercado esportivo de corridas, caso de Tryon e Fila, o consumidor busca cada vez mais tecnologia em produtos, que entreguem de fato um benefício para o atleta. A inovação tem representado mais de 5% do faturamento anual da empresa — explica o vice-presidente de marketing do grupo, Rodrigo Lacerda. (Fonte: Diário Catarinense)

>> Leia a matéria na íntegra

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Curta o IEMI no facebook

>> Siga o IEMI no twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.