China em ritmo de retração

A atividade do setor industrial da China, em fevereiro, retraiu mais do que o esperado, segundo analisou o economista Zhou Hao, do Commerzbank. No dia 29 passado, o Banco Central da China anunciou corte de 0,5% na taxa do compulsório que os bancos devem reter como reserva. Tal fato estima liberar US$ 100 bilhões em dinheiro para novos empréstimos. Da mesma forma, o governo anunciou, ontem, que pretende demitir entre 5 e 6 milhões de trabalhadores nos próximos dois ou três anos. Ainda na segunda-feira, dia 29, o ministro de Recursos Humanos e Seguridade Social da China, Yin Weimin, afirmou que deverão ser demitidos cerca de 1,8 milhão de trabalhadores da indústria de carvão e aço. (Reuters/02-03-2016)

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Conecte-se ao IEMI no LinkedIn

>> Curta o IEMI no Facebook

>> Siga o IEMI no Twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.