Calçados, Vestuário e Bebidas entre as exceções

Contra a vontade da área econômica, entre outros setores, os das confecções de vestuário (incluindo chapéus) e de calçados terão alíquota de 1,5% sobre o faturamento bruto, cuja previsão era de 2,5%. Assim, o Congresso deixou de aprovar projeto da equipe econômica que criava alíquotas entre 2,5% e 4,5% para os 56 segmentos que no primeiro governo da presidente Dilma Rousseff tiveram desonerações. (Valor/26-06-2015)

 

Fique por dentro do mercado de Moda e Decoração

>> Conecte-se ao IEMI no LinkedIn

>> Curta o IEMI no Facebook

>> Siga o IEMI no Twitter

>> Conheça nossos Produtos e Serviços


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os comentários são sujeitos a moderação antes de serem publicados. Campos obrigatórios são marcados com *.