Calçados Femininos 2017

Por: R$ 8.900,00

Loading Atualizando carrinho...
Conheça a condição especial para Clientes Assinantes

Descrição

A quem se destina

Empresários, investidores e gestores de empresas ligados à produção, suprimento, comércio externo, atacado e varejo de calçados femininos.

Conteúdo

Oferta e demanda de calçados femininos no Brasil, contendo o perfil da indústria nacional, volumes e vendas por produto, exportações e importações, países de origem e destino, demanda interna, canais de distribuição, perfil socioeconômico dos consumidores locais, estratificação por grupos sociais e região, dentre outras informações de grande relevância para o planejamento estratégico e o posicionamento de empresas ligadas a este importante segmento da indústria nacional. Agrega, ainda, a relação dos principais produtores do país.

Histórico

Retrata a evolução do mercado nos últimos cinco anos e permite a elaboração de análises e projeções a curto e médio prazo.

Formato

Resultados compilados em um único relatório fornecido em material impresso, contendo mapas, gráficos e tabelas, análises e comentários sobre a evolução e as tendências do mercado.

Fontes

O estudo é elaborado anualmente com base em informações setoriais e mercadológicas extraídas de pesquisas regulares, realizadas com exclusividade pelo IEMI, nos principais polos de produção e consumo do Brasil. O estudo é complementado ainda por dados coletados junto a fontes secundárias de informação, como organismos de governo, entidades e institutos de pesquisa, públicos e privados, do país e do exterior.

Suporte

O IEMI oferece todo o suporte necessário ao esclarecimento de dúvidas sobre os resultados apresentados, fontes e critérios utilizados nas análises e projeções do estudo.

Índice

ÍNDICE

INTRODUÇÃO

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

1. Objetivos
2. Fontes
3. Estatísticas, projeções e análises
4. Apresentação
5. Notas importantes

PANORAMA NACIONAL

DIMENSÕES DA INDÚSTRIA DE CALÇADOS NO BRASIL

1. Os grandes números do setor
1.1. Principais indicadores
2. Unidades produtoras por matéria-prima, porte e região
2.1. Distribuição de unidades produtoras por matéria-prima
2.2. Distribuição de unidades produtoras por matéria-prima (%)
2.3. Distribuição de unidades produtoras por porte
2.4. Distribuição de unidades produtoras por porte (%)
2.5. Distribuição de unidades produtoras por região
2.6. Distribuição de unidades produtoras por região (%)
3. Pessoal ocupado por matéria-prima, porte e região
3.1. Pessoal ocupado por matéria-prima
3.2. Distribuição do pessoal ocupado por matéria-prima (%)
3.3. Pessoal ocupado por porte
3.4. Distribuição do pessoal ocupado por porte (%)
3.5. Pessoal ocupado por região
3.6. Distribuição do pessoal ocupado por região (%)

PRODUÇÃO

4. Produção em volumes por porte e região
4.1. Produção de calçados por porte (em 1.000 pares)
4.2. Distribuição da produção de calçados por porte (em % dos pares)
4.3. Produção de calçados por região (em 1.000 pares)
4.4. Distribuição da produção de calçados por região (em % dos pares)
4.5. Distribuição da produção por matéria-prima (1.000 pares e %)
5. Valor da produção de calçados
5.1. Evolução do valor da produção de calçados
6. Preços médios dos calçados
6.1. Preços médios por produto (R$/par e US$/par)

IMPORTAÇÕES E EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CALÇADOS

7. Evolução das importações e exportações
8. Origem das importações brasileiras de calçados
8.1. Países de origem das importações brasileiras de calçados (US$ 1.000 FOB)
9. Destino das exportações brasileiras de calçados
9.1. Países de destino das exportações brasileiras de calçados (US$ 1.000 FOB)

CONSUMO APARENTE DE CALÇADOS E TENDÊNCIAS

10. Consumo aparente e participação das importações e exportações
10.1. Consumo aparente em volume (1.000 pares)
10.2. Consumo aparente em valores (US$ 1.000)
10.3. Consumo aparente em valores (R$ 1.000)
11. Tendências evolutivas da produção e do consumo de calçados em geral
11.1. Resultados projetados em volume (1.000 pares)
11.2. Resultados projetados em valores (US$ 1.000)
11.3. Resultados projetados em valores (R$ 1.000)

INDÚSTRIA DE CALÇADOS FEMININOS NO BRASIL

ANÁLISE DO UNIVERSO DE UNIDADES PRODUTORAS E DA MÃO DE OBRA EMPREGADA

1. Unidades produtoras por porte e região
1.1. Distribuição do número de unidades produtoras por porte
1.2. Distribuição do número de unidades produtoras por região
2. Pessoal ocupado por porte e região
2.1. Distribuição do pessoal ocupado por porte
2.2. Distribuição do pessoal ocupado por região
3. Produção em volumes por porte e região
3.1. Produção por porte (em 1.000 pares)
3.2. Distribuição da produção por porte (em % dos pares)
3.3. Produção por região (em 1.000 pares)
3.4. Distribuição da produção por região (em % dos pares)
4. Produção segundo os modelos e as linhas de produto
4.1. Produção por linha de produto (1.000 pares)
4.2. Distribuição da produção por linha de produto (em % dos pares)
5. Valor da produção de calçados femininos
5.1. Valor da produção por linha de produto (R$ 1.000)
5.2. Valor da produção por linha de produto (US$ 1.000)
5.3. Distribuição do valor da produção por linha de produto (em % de valores)
6. Preços médios dos calçados femininos
6.1. Preços médios (R$/par)
6.2. Preços médios (US$/par)

COMÉRCIO EXTERNO BRASILEIRO DE CALÇADOS FEMININOS

7. Resultados da balança comercial
8. Importações brasileiras de calçados femininos
8.1. Importações brasileiras de calçados em volumes (1.000 pares)
8.2. Importações brasileiras de calçados em valores (US$ 1.000)
8.3. Preços médios das importações brasileiras de calçados (US$/par)
9. Exportações brasileiras de calçados femininos
9.1. Exportações brasileiras de calçados em volumes (1.000 pares)
9.2. Exportações brasileiras de calçados em valores (US$ 1.000)
9.3. Preços médios das exportações brasileiras de calçados (US$/par)

DEMANDA INTERNA

CONSUMO APARENTE DE CALÇADOS FEMININOS E TENDÊNCIAS

1. Consumo aparente de calçados femininos
1.1 Consumo aparente em volumes (1.000 pares)
1.2. Consumo aparente em valores (US$ 1.000)
1.3. Consumo aparente em valores (R$ 1.000)
2. Participação dos importados sobre o consumo aparente
2.1. Participação da importação sobre o consumo interno (% sobre pares)
2.2. Participação da importação sobre o consumo interno (% sobre US$)
3. Participação dos exportados sobre a produção nacional
3.1. Participação da exportação sobre a produção (% sobre pares)
3.2. Participação da exportação sobre a produção (% sobre US$)
4. Tendências evolutivas da produção e do consumo
4.1. Tendências do mercado de calçados femininos para 2017 (1.000 pares)

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

5. Canais de distribuição da produção de calçados femininos
5.1. Canais de distribuição da produção (em 1.000 pares)
5.2. Canais de distribuição da produção (% sobre volume)
5.3. Canais de distribuição da produção (em R$ 1.000)
5.4. Canais de distribuição da produção (% sobre valores)

O VAREJO DE CALÇADOS FEMININOS NO BRASIL

1. Linhas de produtos comercializadas por canal do varejo
1.1. Canais de distribuição do varejo em volume (1.000 pares)
1.2. Canais de distribuição do varejo em valores (milhões de R$)
2. Pontos de venda especializados em calçados no Brasil
3. Mão de obra empregada nas lojas especializadas em calçados
4. Concentração dos pontos de venda especializados por porte de município

CURVA DE PREÇOS DOS CALÇADOS FEMININOS NO VAREJO

5. Média de preços por mix de produtos (valores em R$)
6. Curva de preços dos calçados femininos por canal do varejo (valores em R$)

CURVA DE PREÇOS POR PRODUTO (VALORES EM R$)

7. Sapatilha feminina
8. Sapato feminino
9. Sandália feminina
10. Tênis feminino

PERFIL E ESTRATIFICAÇÃO DAS CONSUMIDORAS

11. Breve Histórico
12. Perfil demográfico
12.1. População brasileira residente (1.000 habitantes)
12.2. População brasileira por faixa etária (1.000 habitantes)
13. Renda per capita
13.1. Evolução do número de habitantes e da renda no Brasil
14. Poder de compra
14.1. Distribuição da população e do consumo por poder de compra
15. Consumo por região e unidade federativa
16. Consumo residente nas principais cidades brasileiras

ANEXO

EMPRESAS DE CALÇADOS FEMININOS

1. Empresas calçadistas no setor feminino (Total: 219)
1.1. Região Sudeste
1.2. Região Sul
1.3. Região Nordeste|Centro-Oeste

Mercado

O IEMI disponibiliza conteúdo exclusivo sobre este estudo apenas para usuários cadastrados. Efetue login ou cadastre-se para acessá-lo.